A loucura de, enfim, amar



Amar é um constante ato
um doce e delirante fato
de loucamente se entregar
sem idéia do que vai ganhar

Amar é até então
mergulhar de cabeça
num infinito espírito
que desperta o seu melhor

Expõe também o seu pior
mas que no fim, amar
é se jogar num imenso mar
num mergulho profundo

Num entendimento do mundo
grande e louco que vivemos
mais que humano seremos
pois amar é despertar a alma

Amar é mais do que se pode definir
amar é apenas um ato louco de sentir
o que outra pessoa também sente
o que neste encontro também tende

Haver enfim união
por cima de "sim" e "não"
além de um talvez
pois esta é a nossa vez

Amar, enfim é loucura
um ato de beleza pura
um enobrecimento da humanidade
um enaltecimento da nossa vontade

Amar é entregar a alma
pois o corpo vem depois
e todos vós que então sois
capazes de aqui criticar

Atire em mim uma pedra
pois amar também enlouquece
lembra-me do que esquece
refaz o que em vida perece
imortaliza a quem fez esta prece.

Thiago Guimarães de Pina

Comentários

Malu Freitas disse…
O Poeta

O Poeta é meio louco, meio chorão
Escreve sobre o que te encanta.
Para simplesmente encantar seu coração.
A cada esquina que passa.
Encontra uma paixão.
Só se sente feliz
Sozinho na escuridão.

Ouve o clamor de um poeta
Mesmo não tendo solução. Para atingir uma meta.
Tem sempre um lápis, um papel de carta nas mãos.

Ouve o clamor do poeta.
Que desperta em seu coração
Triste são aqueles que não sabem dividir sua solidão.
Mais há de um dia o poeta.
Achar um coração que se encante pelo amor do poeta.
Que caminha triste na contramão.

Malu Freitas
Só para constar, pois já devia ter comentado a tempos... lindo!

Postagens mais visitadas deste blog

Um Poema de Raiva

Educação, pra quê?

Coração de Fogo