Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2013

Pobre Poeta

Imagem
Pobre poeta!
E agora José?
A lágrima escorreu!
O perjúrio que sofreu!
O feriu em cobre e ferro!

Oito vezes!
E agora José?
Ele tem razão de acusar!
Do pacto que estão a quebrar!
Da saudade, há uma lágrima a rolar!

Preso a sua classe de metal Vai de cobre no banco de Copa! Há uma lágrima! Não é normal! O branco não vai pela rua cinzenta! O branco é uma ferida magenta!
Pobre poeta! Uma flor não nasceu na rua! Mas o perjúrio, a ferida desatinou! Escorreu em sangue morto! Sangue esse que é branco.

O Viajante II

Imagem
Chão de terra, vento no rosto!
É possível nele sentir o gosto!
Estrada aberta, uma nova história!
O horizonte me seduz para sua glória!

A chuva logo vem!
Viajantes logo vão!
Eu encontrei o meu lugar!
Eu encontrei o meu lugar!

Sorrisos e esperanças logo se veem
na esfera do fantástico e do mítico
se faz numa odisseia de descobertas!

Eis que passei do Tártaro!
Passei da ilha da Circe!
E até vi Eneas construir Roma!

Vi um poço de saudades de Ítaca!
Vi Paulo falar de um "Deus desconhecido"!
Vi Jesus ser crucificado e por mim morto!

Mesmo assim estou na estrada!
A saudade devora minha carne
e sinto falta do meu amigo cego...

A estrada é longa, mas a vitória é certa!
A alegria vem quando não se acredita nela!
Vem pequenina, frágil numa chama de uma vela!

Vem assim, num gesto pequeno de mim!
Olhar a serra, o monte e nele achar paz sem fim!
Enfim, o sossego para começar de novo e de novo!