Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2010

Uma Madrugada Perdida

Olhem, o poeta perdeu o sono! É sério!
Ficou até as seis e vinte e oito horas da manhã
olhou as estrelas, a coloração do céu... Ahh afã!
tentou num desespero descobrir delas o mistério!

O que faz tantas estrelas brilharem no escuro?
O que faz do silêncio uma ambrosia perfeita?
O que é ter um coração, que é órgão, puro?
Como é caminhar por uma rua deserta e estreita?

Seria óbvio demais dizer que é a luz
que dá o brilho das estrelas.
Tomem no calvário de vossa pesada cruz
este linear que questiona vossas centelhas...

Sim! A luz! É puramente consequência!
Digo isso por reles e banal experiência
de que tudo que é divino brilha forte
talvez algum louco tenha a plebe sorte
de entender estas palavras...

E naquele escuro perfeito há a ambrosia
um lapso absolutamente pontual de sabedoria
porque acreditem, pensamos melhor assim.
E o ato pleno do amor se faz neste perfeito manjar
onde dois corpos podem o mesmo espaço, ocupar.

E já falaram para vocês que o coração é um órgão?
Sinceramente eu não acredito!
Porque ele bat…

Não Sei

Meu bem! Hoje eu não sei comer!
Não sei me vestir ou me cuidar!
Não sei mais como crescer ou viver!
Não sei como aprender a andar!
Muito menos como a lua tocar!

Ahh e como eu quero tocar a lua!
Como eu quero provar do teu gosto!
A cada mordida sentir o sabor do teu rosto!
Como eu desejo nela, algum dia, dormir!

Fazer-te como meu travesseiro
meu colchão largado e guerreiro!
Como eu quero te fazer minha estrela!
Minha luz que brilha forte, minha centelha!

Ahh meu bem! Eu não sei mais como falar!
desaprendi todo o alfabeto da vida
não sei mais o: "a, b, c"
não sei onde foi parar o meu ser!

Como eu pude esquecer
já não sei mais escrever
confundo loucamente o nome
dessa palavra que me dá fome.

Ponho-me no esmo desse mar
pois não sei mais como navegar
por que falta-me aquela sublime luz
falta-me alguém a me ajudar com a cruz.

Pois não sei mais onde está a saída
me perdi nas artérias desta ferida
sofri traumatismo craniano pela subida
do sangue direto ao coração
do cume do monte à perdição da razão.

Pois não se…

Quando um Ídolo, Pela Vida, Erra...

Quando um ídolo, pela vida, erra
no coração se faz o fim de uma era.
Os pósteres grudados na parede do quarto
as emoções de viver intensamente um enfarto
de torcer, de vibrar descompassadamente
se vêem numa encruzalhida do reles "de repente".

Quando um ídolo era gente de se admirar
todos os seus atos eram algo a se respeitar
não olhávamos para a carne que compunha o corpo
não pelejávamos pelo seu compasso nobre e torto
de se perder sempre nas orgias de uma noite
nem questionávamos o seu mortal açoite.

Apenas olhávamos para as glórias de suas conquistas
desejávamos ardentemente que fossem sempre cheias
e que sua jornada possuisse sempre grandes e extensas listas
para se preencher de complacência e elegância as nossas vidas.

A cada momento dentro do trabalho que o compunha
um ídolo levantava a mão forte e imponente e empunha
firme e onipotente o que o fez ser ídolo de um nação
e o que faz ser lembrado por um pequeno e nobre coração.

O que se pode fazer quando o sentimento de uma criança
perde no …

Viva La Vida

E hoje é a vez dela
desta flor mais bela
que Deus poderia esculpir
para resplandescer em suprir
de amor e conhecimento
a todo instante e momento.
Dou graças por mais um ano
por Deus ter te colocado no plano
de ser a estrela de luz que hoje és
pois este poeta está aos seus pés.
As estrelas hoje regojizam
de um gozo de alegria infinita
pois elas, no céu, festejam
a mais uma canção bonita
que o lapidar dos teus passos
fizeram num ladear de amassos
entre as curvas da vida
a uma paixão forte e sentida.
Viva minha estrela! Viva!
Viva la vida pois és muy bela!
Espalhe a chama da tua vela
e seja sempre luz!

Thiago Guimarães de Pina